Frank Totino e eu - photo de Bryan MacLeod

Acho que existem dois grupos distintos de pessoas que visitam estes tópicos do blog. Um grupo é de improvisadores ou interessados em improviso. O outro de pobres desavisados que acharam que Keith Johnstone é um nome engraçado. Talvez o grande mote deste artigo seja um pouco mais para o primeiro grupo, porque não sei o quanto os outros visitantes gostariam de saber sobre o que vou contar.

Um barquinho a navegar - Daniel Nascimento e Lindsay Mullan - photo by Bryan MacLeod

Domingo a noite, dia 10 de julho de 2011, é um dia para ser lembrado para sempre. Acho que já sabia disso, mas fiquei ainda mais atento a este fato depois de uma conversa com o parceiro Elidio Sanna. Foi no domingo passado que um grupo de brasileiros montou, pela primeira vez, uma noite de improviso dentro do teatro Loose Moose, o berço do improviso. É como se você fizesse uma tragédia grega num daqueles teatros em ruínas na Grécia.

A noite teve momentos impagáveis, como o nosso Mestre de Cerimônias Marcio Ballas homenageando durante toda a noite o nosso motorista de ônibus Dennis. Cenas incríveis com os brasileiros e os convidados da Espanha (Jorge Rueda), do Uruguai (Danna Liberman e Lucia Dotta) e atores do elenco estável do Loose Moose (Shawn, Lindsay, Immanuela e Andrew).

Com Anderson Bizzocchi, em cena dirigida por Frank Totino - photo by Bryan MacLeod

Tive o prazer de ter uma cena de improviso dirigida por Frank Totino, fiz o MC do jogo do quadrado (em inglês, people, não se esqueçam disso) e, para acabar com chave de ouro, fizemos o jogo da torta e lambuzamos todo o Loose Moose de creme de barbear. Uma noite imortalizada para sempre no nosso DNA artístico.

Na segunda de manhã, ao entrarmos no ônibus, somos todos saudados por um sorridente Dennis, o motorista do ônibus, que nos oferece um dos elogios mais enigmáticos da história, mas muito positivo:

– Me diverti muito no show de vocês ontem a noite. É muito engraçado. Mais interessante que um show do Jonhny Cash, que assiste em Las Vegas há muitos anos atrás!

 

Toma essa, Johnny Cash!

 

PS – Tudo parecia que iria durar meses. A grande maioria tinha acertado a presença no workshop em dezembro do ano passado. Agora, já aqui, com tudo isso acontecendo de uma vez só, o tempo esta passando a sensação de voar rapidamente, fugindo do nosso controle. Mas continuamos aproveitando o máximo de cada dia.

Coro de Improvisadores de Jorge Rueda - photo by Bryan MacLeod