Pode parecer realmente inseguro, arriscado ou improvável (mesmo nome dado ao espetáculo da Cia Barbixas de Humor, sucesso youtubesco e nos palcos), mas a verdade é que a possibilidade de se divertir com uma apresentação de improvisações é muito alta. Por quê? – você se pergunta, leitor desconfiado da opinião já sabida deste escritor que trabalha com espetáculos com improvisação há anos. Ora, – respondo eu – porque sim!

 

Respostinha ruim, já pensa você, e começa a passear com o mouse pelos links ao redor do artigo. Não! Espera! Calma, estou aqui querendo conversar com você sobre os meus achismos. Olha pra este texto e não pro link "Quer encontrar parceiros online?" só mais um pouquinho, por favor…

Ainda comigo? Beleza. Então eu te apresento a minha primeira idéia: improvisação é algo que a gente faz junto. Você e eu. A platéia e os "jogadores" de improvisação. Portanto, você interfere de verdade no trabalho que está acontecendo na sua frente, não está vendo algo estanque que não se altera, tudo pode acontecer. Isso é que interatividade, não essas perguntinhas do internauta no meio dos jogos de futebol.
Além de você estar interferindo e/ou colaborando com o trabalho, existe uma alta possibilidade do erro. Errar é divertido, especialmente quando quem erra é o outro. Você já riu vendo alguém cair na rua? Já deu risada numa dessas video cassetadas que estão em todos os canais de tevê? Você já tomou manga com leite pra ver se tem efeito devastador mesmo? Bom, esta última pergunta entrou no texto sem querer, mas você entendeu o que quero dizer com a vontade de ver o erro dos outros. Os atores tiram vantagem disso, se aproveitam para fazer humor mesmo quando as improvisações não dão certo.

No Youtube é fácil de conferir a satisfação da platéia. Temos o espetáculo Improvável, que é inspirado no formato do show de televisão Whose Line is It Anyway? (transmitido no Brasil pela Sony) e no espetáculo paulista Jogando no Quintal (que usa da linguagem do palhaço). Em terras curitibanas, você encontra atualmente em cartaz o Nu Improviso, capitaneado pelo ator Fábio Lins, e o A Regra é Cômica, da Cia dos Palhaços – fora as improvisações do próprio AntropofocusTM. Tudo está devidamente youtubado (é um verbo improvisado, mas acho que vai pegar), até para que você saiba quando a improvisação é nova mesmo, ou quando ela é repetida nos shows.

Se você nunca assistiu ao vivo, confira. Vale a pena se arriscar, porque é mais que provável que seja divertido.

 

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=l7x3DbDufW0&w=500&h=405]

 

 

 Aquele abraço

Andrei Moscheto
http://andreimoscheto.blogspot.com/