Li no jornal que as moedas em Curitiba sumiram. Desapareceram. Cadê as moedas? Vários comerciantes estão a caça de moedas por todos os lados. Mas por que será que elas desapareceram?

Eu tenho duas teorias que combinam. A primeira, é simples e tristemente comprovada semanalmente: Curitiba esta violenta. Assaltos, furtos e homicídios não são estranhos ao nosso dia a dia. Então sair de casa com dinheiro é um risco real, que todos mitigam usando cartões de débito/crédito.

A segunda é a “tristeza do centavo perdido”. Sabe quando você paga em dinheiro aquele valor na padaria e o caixa te dá menos de troco? Nem é muito menos, são sempre variações em cima de 4 centavos – porque essas moedas, de um centavo, realmente desapareceram há muito tempo. Mas você vê que não recebeu aquele centavinho a mais. Sinceramente acho que isso incentiva as pessoas a pagarem com o cartão, porque elas sabem que terão debitados de seus bolsos exatamente o valor que deveriam pagar e nenhum centavo a mais. O que é um processo muito esquisito, porque na verdade, quase que todas as transações via cartão geram um custo maior do que 4 centavos para o comerciante e, ao passar o cartão, o cliente inicia um processo de transação bancária que trava o caixa por algum tempo. Entretanto, em tempos de segurança precária, qual empreendimento quer ter tanto mais dinheiro em caixa?

Ufa! Escrevi minhas sábias opiniões. Eu sou um gênio onipotente, usando minha perspicácia para salvar o planeta!

Só que, na verdade, eu não “li” a notícia sobre o desaparecimento das moedas curitibanas. Nem sei se é isso mesmo que trata a matéria. Só li uma manchete de jornal e um subtítulo que dizia que comerciantes estão buscando maneiras de conseguir essas moedas de volta, porque não estão circulando. Mas, imediatamente, o impulso de escrever sobre isso, baseado em suposições sem nenhuma substância, foram muito fortes.

Nem foi a primeira vez que isso aconteceu esta semana. Ao comentar um artigo de um jornal gringo, que falava que a partir deste ano os habitantes do Texas poderão usar revólveres em coldres abertamente, na cintura ou do lado do corpo estilo Dirty Harry, comentei sobre o retrocesso da lei e levei uma réplica dizendo “acho que você nem sabe, mas há outros 40 estados nos EUA que tem a mesma lei”.

Não sabia mesmo. Não sei de nada. Mas na minha falta de compromisso, sem que isso seja um trabalho meu, posso falar coisas baseadas em nada para o mundo. Aqui no blog, no comentário da página, usando meu perfil. Um monte de opiniões fajutas sem fundamentos.

Quando eu faço isso, é grave. Tem gente que lê o que escreve. Mas e quando quem faz isso é um jornalista contratada, pago, com compromisso real com o seu público?

Tenho que ler todos os artigos do mundo com essa perspectiva: a pessoa que pensou em digitar este artigo pode saber realmente do que esta falando ou não. E a probabilidade do “não” é altíssima.

Saiba que seu computador é uma ilha, cercado de opiniões furadas por todos os lados. Defenda-se.