Em uma noite fria, o pai veio ao quarto do filho desejar boa noite:

Pai – Boa noite, filho, descanse bem.

Filho – Pai, conta uma história pra mim?

Pai – Filho, o pai tá morrendo de sono.

Filho – Pode ser qualquer uma, até os três porquinhos.

Pai – Pode ser a versão Curitibana?

Filho – Tem isso?

Pai – Claro, que tem, chama-se…

OS 3 PORQUINHOS TORCEDORES E O FRIO DO MAU

“Era uma vez três porquinhos. Tinha um porquinho paranista, um porquinho coxa-branca e um porquinho atleticano. Eles viviam muito felizes em Curitiba. Mas um dia chegou o Frio do Mau e todos os porquinhos correram pra casa.

O porquinho paranista chegou em casa. O Frio do Mau foi atrás dele e disse “Deixa eu entrar”, e o porquinho disse “Não deixo, não deixo, não deixo”. Então o frio soprou, soprou e soprou. E como o porquinho paranista morava numa Kombi, ela não aguentou. E o porquinho paranista fugiu pra casa do seu irmão coxa-branca.

O Frio do Mau foi atrás. “Deixe eu entrar”, disse o Frio, mas o porquinho Coxa-Branca disse “não deixe de jeito nenhum, pelo Alto da Glória que não deixo”. Então o frio soprou, soprou e soprou. Nessa hora, todas as pombas da casa do porquinho coxa-branca ficaram assustadas e saíram voando, todas juntas. Isso fez mais vento que o frio e derrubou a casa do porquinho e os dois irmãos correram pra casa do irmão atleticano.

O Frio do Mau foi atrás. “Deixe eu entrar”, disse o Frio, mas o porquinho Atleticano disse “Não deixo não, não deixo não, Conhecemos seu Valor, nessa casa rubro-negra, você não entra não”. Então o frio soprou, soprou e soprou. Só que, como o governo deu de graça uma mansão pro porquinho sem razão nenhuma, o Frio não conseguiu entrar lá e foi embora.”

Filho – Nossa pai, final esquisito

Pai – Sim, é esquisito e divertido, que nem o papai.

Filho – Mas pai, qual a moral?

Pai – Que irmãos nunca devem brigar por futebol, porque isso é bobagem.

Filho – Mas e a parte que o governo deu de graça a casa do porquinho atleticano, não é errado?

Pai – Claro que não, filho. Corrupção só é errado quando dá vantagens pros outros. Agora beija o brasão do furacão, esse do seu pijama ou o do lençol, e dorme.