Mas não é que em Curitiba faz frio de novo? O povo daqui já estava desacostumado, todo mundo achando que eramos uma espécie de litoral sem mar, um lugar onde o calor reinava soberano. Alguns estavam tristes com o acontecido, outros estavam radiantes com um possível benefício advindo do aquecimento global.

 

O frio voltou, minha gente! Muitos, completamente desligados do calendário, se perguntaram se já era inverno e tínhamos pulado o outono. Ontem todos estavam usando uma blusinha com aquele cheirinho de armário, com jeito de casaco que "pulou da cama", nem acordaram o coitado do blusão direito e ele já teve que trabalhar.

 

Nunca vejo sites de tempo. Fico curtindo a surpresa que Curitiba pode me trazer no dia seguinte, seja calor, frio, calor-e-frio simultaneamente e, é claro, gripes! Com o frio volta a temporad de gripe, renite, bronquite, sinusite. São muitas as receitinhas que todos tem a mão para isso e há um prazer secreto em ser detentor de uma que tenha funcionado consigo mesmo ou com outros, quase que uma medalha de honra em centros urbanos:

 

– Eu sempre tive renite, daí comecei a tomar banho frio sempre de manhã e passou tudo.

 

– Minha avó toma limão em jejum todos os dias e diz que nunca deu um espirro.

 

– Foi com mel, gengibre, alho e cortizona. Três meses depois a minha cunhada parou de fungar feito tamanduá bandeira faminto.

 

Os papos sobre alergia também são muito bons, não? São os ácaros! O ar condicionado! O carpet! O gato! O meu chefe! Os elementos alérgicos estão por todas as partes, cercando a gente e fazendo com que o curitibano médio volte sempre correndo pra casa.

 

A você, guerreiro do frio curitibano, o desejo deste blogueiro: saúde!

 

 

Hoje no Blog: Comédia Olímpica ou As malucas possibilidades numa barra assimétrica (clique e assista)