humor 

Estas eleições brasileiras ganharam fama internacional, graças a uma piada sem graça feita pelo TSE. Os programas de humor de rádio e televisão estão proibidos de fazer piada com os candidatos. Isso é sério. É seríssimo! Uma releitura de uma lei, de 1997, ameaça rádios e tevês com uma multa de 200 mil reais pra cada piadinha feita por humoristas. Ou seja: CQC, Pânico (rádio e TV), Casseta & Planeta, Zorra Total (ops, desculpe, escrevi errado; só programas de humor estão ameaçados) tem que ficar quietos sobre suas opiniões políticas nesta época.

 

Sim, amigo leitor, é censura. Censura da grossa, feita a luz do dia, em pleno século XXI. Estão com medo de que? Ontem vi uma entrevista, se não me engano uma mulher no programa Happy Hour da GNT, dizendo que esta lei foi criada para evitar que os partidos não usassem humor como ferramenta eleitoral contra os seus adversários durante o Horário Eleitoral Gratuito. Agora, numa época em que os programas de tevê de humor chamam a atenção da nova geração, aí a coisa mudou de figura. Os constantes escrachos mostrando o quanto nossos representantes são despreparados, corruptos e desinformados ganham novas cores.

 

Hoje, às três da tarde, em frente ao Copacabana Palace, haverá uma manifestação contra a censura ao humor. Se estiver no Rio, apareça por lá e dê o seu apoio ao movimento! Abraços