Martin Brent

Domingo é sempre bom de fuçar os updates dos amigos. Saber o que eles descobriram de interessante por aqui, nas paragens da internet. Uma das notícias era um prêmio de fotografia, incluindo a de Martin Brent – aqui ao lado – que mais me chamou a atenção. A foto montagem é excelente e, ao ler o motivo da campanha, fiquei um pouco chocado. É para que as pessoas deixem de comprar cigarros contrabandeados.

 

Fumar, em si, já é um mistério para mim. O cheiro é algo repugnante, os resquícios piores ainda e o efeito terrível (sou um viciado em café, outro dia volto a este assunto). Então retomar a consciência de que as pessoas que fumam não só se sujeitam a cigarros “normais”, mas também se sujeitam a cigarros contrabandeados com problemas que podem ser maiores ainda? É assustador!

 

Conversa de botequim:

 

Freguês – Olá, por favor, me vê um pacote de câncer.

Barman – Pois não, senhor.

Freguês – Qual câncer você tem?

Barman – Temos o câncer azul, o vermelho, o verde, o mentolado, e câncer com canela.

Freguês – Hum, que delícia!

Barman – Também temos o câncer direto.

Freguês – Como é isso?

Barman – Não tem nenhum filtro atrapalhando o seu câncer de se instalar.

Freguês – Olha, acho até mais honesto. Eu sempre compro câncer vermelho, mas hoje estou com vontade de fazer diferente.

Barman – Por que o senhor não experimenta, então, um enfisema light?

Freguês – Será?

Barman – Claro, garanto pro senhor que será delicioso. E está na promoção.

Freguês – Ótimo. Vou ficar com esse, então.

Barman – Aqui está. E não se preocupe com selos do Inmetro, senhor. É estavam em falta no Paraguay esta semana. Normalmente importamos eles já com os selinhos do lado.

Freguês – E qual é a minha garantia, então?

Barman – Ora, senhor, “la garantia soy yo!”

 

__________________

 

O rato saindo da boca não parece agora algo inofensivo?